COLLIGERE TRANSFORMADA EM ESCUDO E ESPADA, A PALAVRA LYRICS

As vozes estridentes daqueles que dão ordens são repletas de medo. E eles bebem nosso vinho, convencidos de que é nosso sangue. Que se expanda o batimento do nosso coração. Que se torne eco, ponte, caminho, lugar e casa. Pra que nunca o silêncio seja cúmplice do crime. E a palavra se perca entre os ruídos.
Você não pode ouvir os passos até que estejam perto demais. Pensa que é o vento balançando as árvores. Quando os pés já estão quebrando as folhas no chão. Varrendo as testemunhas do velho mundo e celebrando. O nascimento de novas flores. Que todos possam entrar na festa que promovem com nosso trabalho
E as paredes não sejam mais prisão, sim abrigo e proteção. Espalhe que a grande notícia já chegou. Chega todo dia, desde o nosso despertar. Somos um enxame atacando um gigante. É fácil confundir silencio com aceitação, mas há pessoas Caminhando em todo tempo e lugar. Não vai parar...